“A INDÚSTRIA PET NO VAREJO E NOS SHOPPING CENTERS”

Por Michel Cutait em 24 de novembro de 2014

Existe um mercado de consumo que cresce e se desenvolve com uma velocidade incrível, e atinge milhões de pessoas e consumidores de uma forma muito significativa, que é o mercado da indústria pet.

A indústria pet no Brasil apresenta números e resultados expressivos. Segundo o projeto Pet Brasil (www.petbrasil.org.br), o faturamento alcançou em 2013 mais de R$ 15 bilhões, ficando atrás, apenas, dos Estados Unidos.

Estima-se que no Brasil existam mais de 106,2 milhões de pets ou animais de estimação, o que demonstra como esse mercado é importante não só do ponto de vista econômico, mas principalmente na vida particular das pessoas.

A indústria pet costuma dividir ou classificar o mercado pelas expressões “pet food”, “pet vet”, “pet serv” e “pet care”, e cada um desses segmentos apresenta crescimentos vertiginosos, com destaque para o “pet care” e o “pet serv” que abrangem todos os produtos e serviços destinados aos cuidados, manutenção e bem estar dos pets.

E com esse potencial tão grande, o mercado de varejo e de Shopping Centers não poderia deixar de recepcionar e prestigiar o mundo pet, sendo cada vez mais comum encontrar empresas, marcas, lojas e também Shopping Centers considerados pet-friendly.

Esse fenômeno precisa ser compreendido de uma forma dinâmica, como parte de um processo de desenvolvimento e evolução do comportamento do consumidor, em uma sociedade em constante movimento, que muda e altera os hábitos, as preferências e as necessidades das pessoas.

Que os pets ou animais de estimação são parte essencial na cultura humana ninguém tem dúvida, mas atualmente essa convivência e esse relacionamento têm se intensificado de uma forma espetacular.

As pessoas e as famílias tinham seus pets ou animais domésticos, e além da convivência diária, o consumo era muito ligado aos produtos de alimentação e produtos veterinários, ou seja, às necessidades básicas de sobrevivência e saúde.

Esse comportamento mudou, e acreditamos que um dado importante para explicar essa mudança está no estilo de vida das pessoas, principalmente nos grandes centros urbanos, isso porque as famílias ficaram menores, o número de pessoas que moram sozinhas cresceu de forma impressionante, e os pets começaram a ganhar um papel de destaque na vida das pessoas, não só para servir de companhia, mas como se fossem mesmo mais um membro dessas novas famílias.

Parece simplória essa conclusão, mas o fato é que os pets, atualmente, ganharam uma importância fundamental na vida das pessoas, e, sob o ponto de vista do varejo, a consequência automática disso é que as necessidades das pessoas em relação aos seus pets também mudou, basta ver a oferta de serviços e produtos que podem ser encontrados no mercado.

Do consumo voltado às necessidades, as pessoas começaram a conviver cada vez mais com seus pets, o que foi determinante para que os pets também começassem a estar presentes no dia-a-dia das pessoas, e nos lugares que essas pessoas frequentam, o que exige, naturalmente, que os estabelecimentos comerciais comecem a repensar de que forma poderão recepcionar esses consumidores e seus pets, e hoje, já existem restaurantes, cinemas, lojas e Shopping Centers que aceitam a presença dos pets sem qualquer limitação.

Também avançaram os serviços destinados aos pets, que antes se limitavam aos cuidados veterinários, e hoje já existem spas, hotéis, salões de beleza e academias para os pets, e também os produtos destinados aos pets estão muito mais evoluídos e sofisticados, passando dos produtos simples como casinhas e coleiras, para itens de roupas, acessórios e equipamentos exclusivos e personalizados.

Essa evolução dos produtos e serviços da necessidade básica para aqueles que emprestam para os pets não só o bem estar, mas também o estilo, a moda, as tendências e outros equipamentos que permitem que os pets hábitos, comportamentos e características que são próprias da identidade, comportamento e personalidade dos seus donos parece que é um movimento que a indústria de varejo e Shopping Centers não pode deixar de prestigiar, porque isso traz um potencial de consumo muito grande.

E não é a toa que algumas marcas já saíram na frente, e criaram produtos muito especializados para o mundo pet, como coleiras estilizadas, roupas com tecidos diferenciados, equipamentos personalizados, e uma gama de outros produtos que estão começando a chegar nas lojas e nos Shopping Centers.

Vale a pena ver a matéria publicada no Portal R7 com bons exemplos que existem em São Paulo: http://noticias.r7.com/sao-paulo/fotos/a-sp-dos-pets-cachorros-tem-cardapio-proprio-em-restaurante-e-ja-podem-ate-ir-ao-cinema-24112014#!/foto/9

Já no mercado de Shopping Centers, o melhor exemplo de um empreendimento pet-friendly é o Shopping Higienópolis (http://www.patiohigienopolis.com.br) que fica em São Paulo, onde os clientes podem entrar com seus pets, onde encontram bebedouros, lojas especializadas e uma receptividade muito além daquela que outros Shopping Centers tem oferecido, sendo uma referência para os outros empreendimentos que querem aprender como desenvolver a cultura pet-friendly.

A indústria de varejo e de Shopping Center deve compreender a mudança de paradigma do mercado consumidor, e mais do que isso, deve se antecipar a essas mudanças para que os clientes e consumidores encontrem em seus estabelecimentos as ofertas dos produtos e dos serviços que atendam, não só às necessidades básicas, mas que ofereçam um algo a mais, que surpreendam seus clientes com um atendimento cada vez mais cuidadoso, diversificado e personalizado, para que a experiência não se limite ao simples consumo, mas represente a conquista das aspirações de todos os consumidores.

Michel Cutait

Michel Cutait

Michel Cutait é especialista em Shopping Center e Varejo. Diretor da Make it Work, empresa especializada no desenvolvimento, planejamento, elaboração, produção, execução e administração de negócios para o mercado de Shopping Center e Varejo. Trabalha há 17 anos no mercado, e já colaborou com mais de 48 Shopping Centers e diversos varejistas. Além disso é advogado no Brasil e Portugal, escritor, perito, consultor e professor de cursos de extensão e pós-graduação em Shopping Center e Varejo na ESPM, Fundação Dom Cabral e Universidade Positivo. Também apresenta palestras e realiza treinamentos sobre temas ligados ao mercado de Shopping Center e Varejo. É sócio da Cutait Neto Advocacia e da startup Infinnity Mall, o primeiro Shopping virtual 3D do mercado. Fez Mestrado em Marketing pela Curtin University na Austrália e Mestrado em Relações Sociais pela PUC/SP. Formado em Direito pela UNESP/SP. Certificado em Empreendedorismo em Varejo na Babson College em Boston/USA e Mercado de Ações pela BMF&Bovespa. Também estudou Doutorado em Ciências Jurídico-Economicas na Universidade de Lisboa em Portugal e MBA em Gestão de Shopping na FGV/SP. Administra e mantém o grupo "Shopping & Varejo" na rede de negócios do Linkedin.
Contato: michel@makeitwork.com.br
Michel Cutait

Últimos posts por Michel Cutait (exibir todos)

comments powered by Disqus