“CONSUMO CONSCIENTE”

Por Michel Cutait em 21 de outubro de 2016

Paying by card

Todo consumidor precisa se preocupar com suas finanças, e para manter um controle sobre os gastos é necessário ter planejamento, saber quanto ganha, quanto gasta, quanto sobra e quanto precisa ganhar para poder adquirir, comprar e consumir. Sem planejamento não existe controle, e sem controle a chance do consumidor ultrapassar seus limites no consumo é muito grande e muito arriscado, porque, inevitavelmente, a conta que não for paga se transforma em dívida, e compromete toda a vida financeira da pessoa e de sua família.

Uma boa sugestão para economizar sem deixar de comprar é estabelecer um orçamento, ou seja, fazer um planejamento financeiro das contas pessoais, identificando todas as receitas e também todas as despesas.

Se nesse planejamento, não sobrar dinheiro para comprar, então, pode ser um bom momento para esperar ou para reduzir e cortar gastos desnecessários. Por exemplo, uma família que precisa comprar um móvel para sua casa, mas que costuma gastar dinheiro com jantares nos fins de semana, se não sobrar dinheiro, então, precisa sacrificar os jantares, e com esse dinheiro, comprar o móvel desejado.

Basicamente é necessário fazer três coisas, planejar o orçamento, dividir os gastos e cortar as despesas desnecessárias.

Mas qual a importância de economizar?

Economizar não é uma opção nem uma obrigação, economizar é um direito, um verdadeiro poder, porque economizar é um pressuposto para enriquecer, e enriquecer é um direito que todas as pessoas têm para conquistar mais liberdade e mais independência em suas vidas. Então, independentemente dos momentos de crise, economizar é uma iniciativa absolutamente importante para permitir que o consumidor tenha mais controle sobre seus gastos, bem como para permitir que possa fazer, desfrutar, experimentar e conquistar os bens, serviços, produtos e aspirações que sejam importantes para que a vida seja melhor.

Para quem está endividado, há uma série de atitudes importantes, primeiro é necessário ter conhecimento sobre as dívidas, valores, vencimentos, encargos e prazos; segundo é necessário parar de gastar ou cortar todo e qualquer gasto desnecessário e/ou supérfluo; terceiro é renegociar as dívidas com o credor; quarto é fazer o orçamento familiar e controlar as receitas e os gastos; quinto é pesquisar sempre os melhores preços de todos os serviços e produtos que forem necessários para o consumo; e sexto é procurar novas fontes de receita, para aumentar os ganhos, compensar as perdas, e equilibrar as contas.

Um método simples para economizar é começar a economizar, parece óbvio, mas esse é o primeiro passo, e costuma ser o mais difícil, porque representa uma mudança muito grande de hábitos e comportamentos do consumidor e também da família, ou seja, simplesmente guardar uma parte da renda, independentemente do valor que seja essa renda, por exemplo, se a pessoa tem uma renda de R$ 3.000,00, então, uma medida mínima seria economizar 10% desse valor, ou seja, economizar R$ 300,00, separando essa quantia do resto da renda.

Economizar é um processo contínuo, longo e que exige muita determinação e disciplina. Economizar não depende de nenhuma condição, de nenhum volume de renda nem de conhecimento, mas exige uma forte e persistente vontade de guardar uma parte da renda, em detrimento de fazer outros gastos.

A melhor forma para mudar a rotina dos gastos é manter o foco naquilo que o consumidor precisa comprar, evitar as compras de impulso, e, sobretudo, planejar a compra, fazendo pesquisas de preços, de modelos e de condições de pagamento.

Hoje a pesquisa ficou mais fácil, porque o consumidor tanto pode pesquisar nas lojas e nos Shoppings, como também pode pesquisar em casa, diretamente do computador, até encontrar as melhor oferta. Essa rotina de pesquisa pode ser cansativa, mas para quem quer economizar, vale muito a pena.

O dinheiro economizado pode ser investido de várias formas, havendo inúmeras aplicações financeiras para isso, e um bom especialista financeiro pode dar boas sugestões para aplicar o valor economizado.

No fim do ano, boa parte das pessoas que trabalham consegue uma renda extra com salários de férias, 13º salário e bônus, e a decisão sobre esta renda pode ser uma oportunidade excelente para acertar as dívidas ou incrementar o consumo.

Essa decisão depende muito dos objetivos de cada um, por isso que planejar o orçamento pessoal e familiar é tão importante, porque, com a chegada dessa renda extra, havendo planejamento, o destino deste dinheiro já tem uma finalidade certa. De qualquer forma, sendo uma renda, a primeira medida é economizar uma parte dessa renda também, e usar a outra para, preferencialmente, pagar dívidas que tenham grandes juros, pagar dívidas que tenham juros menores e depois, se sobrar, então, comprar ou adquirir aquilo que a pessoa deseja, sonha ou almeja.

Uma das dívidas que gera muitos problemas para as pessoas, é a dívida do cartão de crédito. Para resolver essa dívida, a melhor opção é pagar o máximo que for possível, e, depois, pegar um empréstimo para quitar o saldo do cartão, desde que esse empréstimo tenha encargos financeiros (juros) menores; mas se emprestar não for possível, outra medida é parcelar o cartão em várias vezes, e parar imediatamente de usar o cartão. Seja a solução que for, a parcela do empréstimo ou a parcela do refinanciamento do cartão precisam ser incluídas como despesas fixas no orçamento pessoal ou familiar.

O consumo é mesmo uma aventura, que gera muita satisfação, prazer e alegria, mas que pode complicar a vida de qualquer pessoa quando não seja feito com consciência, parcimônia, planejamento e disciplina.

 

Michel Cutait

Michel Cutait

Michel Cutait é especialista em Shopping Center e Varejo. Diretor da Make it Work, empresa especializada no desenvolvimento, planejamento, elaboração, produção, execução e administração de negócios para o mercado de Shopping Center e Varejo. Trabalha há 17 anos no mercado, e já colaborou com mais de 48 Shopping Centers e diversos varejistas. Além disso é advogado no Brasil e Portugal, escritor, perito, consultor e professor de cursos de extensão e pós-graduação em Shopping Center e Varejo na ESPM, Fundação Dom Cabral e Universidade Positivo. Também apresenta palestras e realiza treinamentos sobre temas ligados ao mercado de Shopping Center e Varejo. É sócio da Cutait Neto Advocacia e da startup Infinnity Mall, o primeiro Shopping virtual 3D do mercado. Fez Mestrado em Marketing pela Curtin University na Austrália e Mestrado em Relações Sociais pela PUC/SP. Formado em Direito pela UNESP/SP. Certificado em Empreendedorismo em Varejo na Babson College em Boston/USA e Mercado de Ações pela BMF&Bovespa. Também estudou Doutorado em Ciências Jurídico-Economicas na Universidade de Lisboa em Portugal e MBA em Gestão de Shopping na FGV/SP. Administra e mantém o grupo "Shopping & Varejo" na rede de negócios do Linkedin.
Contato: michel@makeitwork.com.br
Michel Cutait

Últimos posts por Michel Cutait (exibir todos)

comments powered by Disqus